fbpx
Conecte com a gente

Olá, o que você está procurando?

Cinema

A simpatia e o charme da história de Enola Holmes

ENOLA HOLMES (L to R) HENRY CAVILL as SHERLOCK HOLMES, MILLIE BOBBY BROWN as ENOLA HOLMES, SAM CLAFLIN as MYCROFT HOLMES. Cr. ROBERT VIGLASKI /LEGENDARY ©2020

Sempre adorei as histórias de Sherlock Holmes. Também gosto muito da série com Benedict Cumberbatch, e dos filmes com Robert Downey Jr.. Por isso, estava muito curiosa para ver o novo filme que mostra a irmã de Sherlock, a adolescente Enola Holmes, que também se torna uma detetive. Ela é tema de uma coleção de livros escrita por Nancy Springer chamada Os Mistérios de Enola Holmes. Enola Holmes,  o filme, com Millie Bobby Bown, e um inesperado Henry Cavill como Sherlock, estreia na Netflix nesta quarta (23). E é bem divertido!

A história

Ele é uma história de origem que é baseado no primeiro livro da coleção de Enola Holmes, chamado O Mistério do Marquês Desaparecido. Enola Holmes (Millie Bobby Brown) é uma garota feliz, que vive ao lado de sua mãe (Helena Bonham-Carter) no campo, na Inglaterra. As duas estão muito à frente  de seu tempo. Enola sabe lutar, lê todo o tipo de livros, é mestre no xadrez, e adora se disfarçar. O problema começa quando a mãe desaparece, deixando para trás algumas pistas para a garota de 16 anos achar o seu paradeiro. Só que chegam seus irmãos mais velhos que têm ideias bem diferentes sobre o futuro de Enola.

Sherlock Holmes (Henry Cavill), o famoso detetive, não quer se envolver, apesar de demonstrar simpatia por ela. Já Mycroft (Sam Claflin), quer mandá-la para um colégio interno só de meninas para que se transforme numa dama. O jeito então é fugir! Em seu caminho para Londres para encontrar a mãe, Enola acaba cruzando o caminho com o jovem Visconde Tewkesbury, Marquês de Basilwether (Louis Partridge). Ele também está em fuga, e Enola tem que ajudá-lo e salvá-lo de um assassino.

https://www.youtube.com/watch?v=tepSsQeQA0U

A crítica

O filme é uma delícia! Lembra em alguns momentos aqueles sobre a detetive Nancy Drew, mas, é claro, em uma escala muito maior. É uma produção de alto nível, com direito à uma direção de arte fiel, e efeitos especiais de primeira linha. Enola Holmes, a personagem, é simpática, divertida, inteligente; Mas, é claro, ainda uma adolescente que ocasionalmente pode ter – poucas – atitudes bobinhas. O filme tem boas cenas de ação,  do tipo montanha russa, inclusive uma perseguição dentro de um trem. Tudo é dirigido com energia por Harry Bradbeer, que vem da série Fleabag. É bem provável que seja dali que tirou a ideia da personagem falar com a câmera. Desde os tempos de Ferris Bueller, essa ideia sempre funciona para engajar ainda mais a audiência.

E o elenco?

O roteiro, entretanto, tem suas pequenas falhas. A maior delas é a escolha do vilão do caso do Marquês. Mas tudo isso é perdoável, especialmente pelo carisma de Millie Bobby Brown. Aqui, assim como em Stranger Things, é impossível tirar os olhos dela, e esperar seu piscar cheio de cumplicidade. Já Henry Cavill faz um Sherlock completamente fora da caixa e sexy como nunca vi antes (não, nem Robert Downey Jr.). E Sam Claflin definitivamente está seguindo o caminho de Jude Law, com a idade chegando e a perda da beleza, vai deixando o perfil de galã de lado. O amigo/ interesse amoroso de Enola, o visconde, é feito por Louis Partridge, conhecido da série Medici. Tem uma boa química com Millie Bobby Brown. E o filme ainda tem Helena Bonham-Carter fazendo o de sempre, rsrs.

Aliás, o mistério do destino de sua personagem é um dos fatores que provavelmente vão propiciar que Enola Holmes vire mais uma franquia para a Netflix. Mas é uma boa coisa. Cheia de conspirações e mistérios, esse primeiro filme traz uma história divertida e envolvente que deixam um gostinho de ‘quero mais’. Acho que vou até começar a ler os livros…

 

.

 

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias

Streaming

O Festival de Cannes é o mais renomado e importante de todos os festivais. Foi criado em 1946, e o prêmio principal na época...

Streaming

Sei que muita gente não gosta de Jennifer Lopez por motivos variados. Não sou um delas. Acho que ela é um boa atriz, admiro...

Streaming

A Netflix vive colocando e tirando filmes de seu serviço. Então eu separei aqui seis deles, que sairão em breve do serviço, mas valem...

Cinema

Há certos tipos de humor que, sinceramente, não consigo entender. Por exemplo, lembro-me de uma época em que Orange is the New Black era...

Cinema

Mad Max: Estrada da Fúria foi um grande sucesso de público e crítica quando foi lançado em 2015. Na época, escrevi o seguinte na...

Você também pode gostar de ler

Streaming

Provavelmente você já ouviu falar da minissérie inglesa Bebê Rena, que está na Netflix. Muita gente tem me perguntado sobre ela nas redes sociais...

Streaming

Sabe aquela situação em que você acompanha filmes e séries que tem uma certa similaridade? Pois foi o que aconteceu com meu amigo José...

Streaming

Há muito tempo, eu assisti o filme clássico francês O Salário do Medo. Dirigido por Henri Georges Clouzot, tinha Yves Montand no papel principal....

Streaming

Em 2022, saiu no Star Plus o filme A Princesa, com Joey King. Mostrava uma jovem e independente princesa forçada a um casamento que...

Cinema

A gente não conhece nem uma parte desses grandes heróis que mudaram a história, salvando tantas pessoas durante várias guerras. E Hollywood, ainda bem,...

Streaming

A gente tem tanta coisa para assistir no streaming que normalmente fica até meio perdida, não é mesmo? Então, eu separei aqui 6 imperdíveis...

Cinema

Para mim é muito óbvio que o diretor Matthew Vaughn é o maior fã que existe do mundo dos espiões – e especialmente de...

Streaming

Um tipo de história que sempre mexe comigo é a de reencontros com amores do passado. Daquele tipo o que poderia ter sido, mas...