fbpx

A incrível jornada de Nada Ortodoxa

Eu já tinha passado várias vezes pela minissérie Nada Ortodoxa na lista de sugestões da Netflix. Só que acabei nunca vendo porque achava que seria muito triste, e de triste já basta essa situação que todos estamos vivendo. Mas aí saíram as indicações ao Emmy, e eu tive que começar a ver. Ela concorre como série limitada, atriz (Shira Haas) e ainda direção, elenco e roteiro (pelo Episódio 1). A minissérie de somente quatro episódios foi uma grata surpresa, e sim, chegou a me emocionar!

O mais interessante é que é baseado em uma história real, que foi contada em livro por Deborah Feldman. A minissérie, entretanto, toma várias liberdades com relação ao livro, que foi lançado em 2012. Praticamente toda a parte da vida da personagem que se passa em Berlim foi inventada. Mas isso não tira o impacto da história sobre a busca do sonho e da felicidade.  Uma jovem judia chamada Esty, que vive em uma comunidade ortodoxa de Nova York, resolve fugir de um casamento arranjado e infeliz. Ela consegue armar um esquema para fugir para Berlim. Enquanto busca novas oportunidades na nova cidade, o marido Yanky e um primo chamado Moishe seguem para lá para resgatá-la e trazê-la de volta para Nova York.

A crítica

A série alterna passado e presente, contando a trajetória de Esty, desde o período pré e pós casamento, bem como o início de sua vida em Berlim, com os amigos do conservatório. É uma produção alemã, mas falada em alemão, inglês e iídiche. A história dramática ganha um toque de suspense, mostrando a fuga de Esty, e ainda a busca de Yanky e Moishe por ela. No final, mistura uma história de transformação de uma jovem em adulta, além de uma luta pela sobrevivência de alguém que não se encaixa num determinado modo de vida. Mas há momentos mais leves, especialmente a relação entre Yanky e Moishe durante a busca por Esty.

Na verdade, o que achei interessante é que Yanky nunca é mostrado como vilão. Ele está tão perdido quanto Esty, mas totalmente dominado pela situação em que vive.  Isso é um ponto que ainda é ressaltado pelas excelentes atuações, não só de Shira Haas como Esty, mas também de Amit Rahav como Yanky. Os dois estão simplesmente sensacionais. Como não ficar emocionado com as cenas do corte de cabelo, ou ainda com o teste do conservatório? Vale muito a pena ver Nada Ortodoxa!

 

Existem 1 comentários

  1. Vale a pena assistir também ao Making Of, principalmente se você, como eu, é curioso em entender um pouco mais sobre esta comunidade retratada na série.

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *