fbpx

A emoção da história de Palmer

Ocasionalmente, os prêmios de Hollywood escolhem crianças entre os indicados do ano. Geralmente são coadjuvantes, e poucas vezes acabam saindo como vencedoras. Entre elas, posso lembrar de Tatum O’Neal (Lua de Papel) e Anna Paquin (O Piano). Este ano Helena Zengel, de Relatos do Mundo, está em todas as listas. Mas, no Critics Choice Awards, ela tem a companhia de outra criança, Ryder Allen, do filme Palmer, disponível na Apple TV Plus. Ele é a chave de toda a emoção do filme, num papel difícil e desafiador.

O filme conta a história de Eddie Palmer (Justin Timberlake). Palmer estee preso durante anos, e agora está de volta à sua cidadezinha no Texas. Lá ele vai morar com sua avó, Vivian (June Squibb), e tenta recomeçar. Ao lado da casa da avó, num trailer, vive Shelly (Juno Temple), que tem claros problemas com drogas  e seu filho fofo, Sam (Ryder Allen). Logo, Shelly desaparece em uma de suas aventuras, e Sam passa a morar com Palmer e Vivian. Uma série de situações acabará aproximando Palmer do garoto. E essa amizade mudará o destino de ambos.

A crítica

O filme é um daqueles dramas que manipula as emoções. Você já viu essa história dezenas de vezes. Um cara que nunca teve grandes responsabilidades, acaba tendo que cuidar de uma criança. Não há nada errado em recontar uma história conhecida, desde que esta seja bem escrita e tenha algum diferencial. Palmer tem ambos! O diferencial é que Sam é um menino com gostos de menina. Gosta de se vestir de princesa, de brincar de tomar chá com a melhor amiga. Sua inocência quanto às razões de por que gosta disso desarma qualquer um. À primeira vista, o durão Palmer parece se incomodar com isso. Mas logo é conquistado pelo menino e fica claro que estará disposto a tudo para defendê-lo. O filme trata a relação dos dois com respeito e sensibilidade, assim como as escolhas de Sam. Confesso que houve alguns momentos que realmente conseguiu me emocionar.

A direção de Fisher Stevens (ator de filmes como Only You) é correta. Mas o grande triunfo são as interpretações de Ryder Allen e de Justin Timberlake. Essa é a estreia de Ryder no cinema, e ele arrasa. Já Justin Timberlake, geralmente um ator competente, encontrou o seu Clint Eastwood interno. Ele  cria um personagem calado, mas que está claramente prestes a explodir. A química  de ambos é sensacional e é a base do filme. Vale conhecer!

Os momentos de desculpas de Justin Timberlake

Justin Timberlake vem tendo alguns problemas com sua imagem recentemente. Casado com Jessica Biel e pai de dois filhos, ele se viu em todos os sites de fofocas no fim de 2019 por causa de uma foto. Nela, ele aparecia de mãos dadas com sua colega de elenco Alisha Wainwright, que faz o interesse amoroso dele em Palmer. As fotos foram feitas num intervalo das filmagens em New Orleans. Na ocasião, ele pediu desculpas num post no Instagram. “…há algumas semanas, eu tive um grande erro de julgamento – mas quero deixar claro -nada aconteceu entre minha co-estrela e eu. Bebi muito naquela noite naquela noite e me arrependo de meu comportamento. Eu devia ter sabido. Não é o exemplo que quero dar a meu filho. Eu peço desculpas a minha incrível esposa e para minha família por fazê-los passar por essa situação embaraçosa…”

Britney e Janet

Essa semana, o ator também acabou tendo que se explicar por situações do passado, só que mais distante, envolvendo sua ex Britney Spears. A retratação veio após uma série de críticas que o cantor recebeu por causa do lançamento do documentário Framing Britney Spears. Em 2002, quando a relação chegou ao fim, o músico falou sobre a vida íntima com a estrela na imprensa. Após o documentário, ele passou a ser cobrado nas redes sociais para se posicionar sobre a questão.

“Eu especificamente quero pedir desculpas a Britney Spears e Janet Jackson individualmente, porque eu me importo e respeito estas mulheres e sei que fracassei… Eu não tenho sido perfeito enquanto navegava tudo isso na minha carreira. Sei que este pedido de desculpas é o primeiro passo e não absolve o passado. Eu quero ser responsável por meus erros e ser parte de um mundo que apoia e coloca os outros para cima…. “

A referência a Janet Jackson é sobre o incidente durante um número do SuperBowl de 2004. O cantor puxou uma parte da roupa da colega, o que deixou o seio direito dela exposto ao vivo em rede nacional. Janet enfrentou muitos problemas em sua carreira após essa situação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *