fbpx

Sexo, drogas e rock and roll em Vinyl, da HBO

 data-srcset

Um projeto que envolve  Martin Scorsese e Mick Jagger sobre os anos 70 merece nossa atenção e respeito certo? Pois  é o caso de Vinyl, a minissérie de 10 episódios, que estreia amanhã (14 – de domingo para segunda)  à meia-noite na HBO em lançamento simultâneo com os Estados Unidos. Com uma mistura de personagens fictícios e reais, pretende mostrar como era  o mercado da música na época do vinil. Vale conhecer!

O primeiro episódio tem das horas de duração e é dirigido por Scorsese, alternando momentos brilhantes com outros um tanto chatos e lentos. Bobby Cannavale tem uma atuação poderosa, que provavelmente lhe dará uma indicção para o Emmy, é Richie Finestra, um executivo dono de gravadora, que está enfrentando problemas financeiros. Ele está no meio de uma negociação para vender seu negócio para a Polygram, mas situações de seu dia a dia passam a atormentá-lo  enquanto ele relembra momentos que o levaram até o atual impasse. Inclusive  o seu casamento com Devon, feita por Olivia Wilde, linda como sempre.

A série leva ao máximo a promessa de Sexo, Drogas e Rock and Roll. Ando meio sem paciência para essas cenas onde pessoas bem sucedidas se drogam até perder tudo. Isso está bem presente no primeiro episódio da série. É a parte chata. O brilhante fica por conta da câmera curiosa de Scorsese. Além, é claro, de todas as referências. Num determinado momento, um ator aparece como Robert Plant, do Led Zeppelin, xingando Richie por causa de uma negociação complicada. E como falam mal e desprezam o ídolo teen dos anos 70, Donny Osmond. Me pergunto o que o verdadeiro, ainda vivo e fazendo shows em Las Vegas, vai achar dessa história. E, é claro, a pergunta que fica é se o produtor Mick e os Stones também virarão personagens de Vinyl e se cruzarão o caminho de Richie.É esperar pra ver!

A série ainda traz interessante participações, com figuras conhecidas  fazendo personagens que você nunca esperaria. Lembra da inocente série de comédia Everybody Loves Raymond? Pois bem, o queridinho das famílias americanas,  Ray Romano,  faz aqui um sócio de Richie, com direito a cenas de consumo de drogas e sexo com duas prostitutas. Quem diria? E Andrew Dice Clay? Hoje provavelmente poucos lembram dele. Mas no final dos anos 80, ele era famoso. Recentemente até conseguiu um papel interessante como o cunhado de Cate Blanchett em Blue Jasmine, de Woody Allen. Eu confesso que demorei bastante para  reconhecê-lo debaixo de barba, cabelos compridos e muitos quilos a mais como Frank “Buck” Rogers, que vai trazer um grande problema para Richie. Uma curiosidade é a participação de Jack Quaid, como Clark, um dos membros da equipe de Richie. Para quem não reconhece o nome, é o filho de Meg Ryan e Dennis Quaid. É… o tempo passa pra todo o mundo!

O desafio de Vinyl será concorrer logo em seu capítulo de estreia com o retorno de The Walking Dead (amanhã falarei mais sobre isso). Para todos os fãs como eu, não há nem o que pensar. Se já não tivesse assistido o primeiro episódio, continuaria fiel aos meus zumbis. Mas, sempre há a opção  de assistir pela HBOGo. E vale a pena. Nem que seja por Scorsese e Cannavale.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *