fbpx

A nova série da estrela de Gossip Girl, Leighton Meester

Esse ano faz 10 anos que Gossip Girl estreou na TV americana. Se tornou uma favorita dos adolescentes da época, principalmente as meninas, que adoravam o estilo de Serena van der Woodsen (Blake Lively) e de Blair Waldorf (Leighton Meester). Mas depois de seis temporadas, a série chegou ao fim com finais felizes para as duas personagens. Blake, como todo mundo sabe, virou uma estrela de primeira grandeza, “carregando” sozinha filmes excelentes como A Incrível História de Adaline e Águas Rasas. Hoje também faz parte do casal de ouro de Hollywood ao lado do marido Ryan Reynolds. Já a história de Leighton é um pouco diferente. Ela preferiu o teatro, onde fez uma elogiada participação no clássico Ratos e Homens, ao lado de James Franco, e também gravou um disco, Heartstrings

Ela também casou. Com Adam Brody, de The O.C., num casamento feito no céu das séries adolescentes (rs), e teve uma filha, Arlo, em 2015. Mas suas tentativas posteriores no cinema não foram muito memoráveis, com exceção de sua participação em O Juiz, ao Lado de Robert Downey Jr.

Mas agora a atriz resolveu voltar à TV. Estreou ontem (5) na TV americana a série Making History, estrelada por ela e por Adam Pally, conhecido de outra série, Happy Endings. Ele é Dan, que está acostumado a fazer viagens no tempo. Em 1700, ele acaba conhecendo Deborah Revere (Leighton),uma mulher a frente de seu tempo, filha de Paul Revere, uma das figuras mais importantes da independência americana. E, é claro, no final do piloto (SPOILER, #sóquenão), Deborah acaba acompanhando Dan até o presente, dando início a várias aventuras em diferentes momentos da história.

O personagem foi o principal atrativo para Leighton. Em entrevista recente, ela disse: “Quando eu comecei a pensar em voltar a trabalhar, e olhando o que havia por aí, foi realmente importante fazer algo onde a personagem feminina me preenchesse, que fosse multifacetada, já que isso é tão difícil de encontrar. E nesta série há o romance, mas isso não é o principal. Não é por causa disso que o personagem está ali, e eu adorei isso. Eu amei que ela faz coisas que normalmente são ações masculinas – eu cavalgo, atiro com mosquetes e ainda salvo o dia, o que é o máximo”. O que será que Blair Waldorf acharia disso? Certamente não aprovaria o figurino (rs).

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *