fbpx
Conecte com a gente

Olá, o que você está procurando?

Séries

Naveen Andrews fala sobre sua nova série Sense8 e as diferenças de Lost

Quando tive a oportunidade de participar de uma mesa redonda com atores das séries da Netflix no início deste mês, fiquei tremendamente entusiasmada. Não só porque admiro a estratégia da empresa, de fazer seu próprio conteúdo e lançar ao mesmo tempo mundialmente, mas também porque teria a oportunidade de entrevistar vários atores que fizeram (e fazem) parte de algumas de minhas séries preferidas. Como fã de Lost,  o mais incrível para mim foi sentar ao lado de Naveen Andrews (Sayid), que estava aqui para lançar Sense 8, uma produção dos irmãos Wachovski  para a Netflix. Junto com ele, estava Miguel Angel Silvestre, que também participa da série.

Miguel Angel Silvestre e Naveen Andrews

Para quem não conhece, vale realmente a pena assistir. Sense8 é uma história sobre oito pessoas espalhadas ao redor do mundo. De repente,  as suas vidas são inexplicavelmente conectadas. Para saber mais sobre cada uma dessas histórias, veja no link – https://www.blogdehollywood.com.br/seriados/sense8-da-netflix-parece-interessante-e-estranha/ .

A minha primeira impressão foi que Naveen parecia bem mais magro e mais baixo do que na TV. E que foi super simpático desde o início. Estava claramente entusiasmado com a série e com o seu personagem, Jonas, que é um dos pontos comuns entre todas as histórias. “Eu nunca li nada igual antes e queria me envolver. Parecia que estávamos ultrapassando certos limites e criando um novo paradigma de uma certa maneira em termos de como contar uma história. E sim, eu queria fazer parte disso porque fiquei chocado, de uma boa maneira. Além do mais, eu queria trabalhar com os Wachowskis por razões óbvias. Eles são artistas, e isso é muito raro em nossa profissão.”

Naveen com Terrence Mann numa cena de Sense 8

É claro que eu não podia deixar de lembrar Lost e Sayid, especialmente porque a dualidade de Jonas, às vezes mal, às vezes bom, é um tanto similar à de Sayid. “Há algumas similaridades com relação à forma. Há dez anos, Lost  fez uma contribuição para mudar a mídia e como você a usa. Já hoje, a audiência tem ferramentas para escolher como assiste arte.” Quanto à Sayid e Jonas, ” tenho atração por personagens que não são preto e branco,  que tem uma complexidade, que são ambíguos, porque encoraja você a pensar, com certeza, já que nós somos complexos.”

No fim, mesmo não estando no roteiro, ele tirou fotos com os jornalistas presentes. Eu, é claro, aproveitei a oportunidade. Afinal, não é todo o dia que você pode tirar uma foto ao lado de um ator de uma de suas séries preferidas. Adorei!!!

image2b

 

27/06/2015

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias

Streaming

Nesse dia 20 é celebrado o Dia do Amigo. E toda mulher sabe a importância da melhor amiga, não é mesmo? Então, fica a...

Streaming

A gente já ouve falar de A Mulher no Lago há algum tempo. A minissérie estreou ontem (17) na Apple TV Plus, com dois...

Premiações

Saiu a lista dos indicados ao Emmy, e, ao contrário de outras premiações, há mais séries concorrentes – especialmente porque não há mais Succession...

Cinema

O filme italiano O sequestro do Papa chega essa semana ao cinemas do Brasil. Isso depois de ter uma bela carreira em festivais e...

Séries

A Netflix soltou hoje um vídeo de bastidores de Stranger Things. A quinta e última temporada está ainda sendo filmada e deve estrear somente...

Você também pode gostar de ler

Streaming

Uma vez eu cheguei a baixar alguns episódios de Bodkin, da Netflix, para assistir no laptop num fim de semana em viagem. Mas acabei...

Streaming

Provavelmente você já ouviu falar da minissérie inglesa Bebê Rena, que está na Netflix. Muita gente tem me perguntado sobre ela nas redes sociais...

Streaming

Sabe aquela situação em que você acompanha filmes e séries que tem uma certa similaridade? Pois foi o que aconteceu com meu amigo José...

Streaming

Há muito tempo, eu assisti o filme clássico francês O Salário do Medo. Dirigido por Henri Georges Clouzot, tinha Yves Montand no papel principal....

Streaming

Um tipo de história que sempre mexe comigo é a de reencontros com amores do passado. Daquele tipo o que poderia ter sido, mas...

Streaming

Eu estava em busca de um filme curtinho, desses de 1h30. E achei Capitã Nova, uma produção holandesa de ficção-científica, disponível na Netflix. Esses...

Streaming

Na época de minha adolescência, como muita gente mais, eu achava Rob Lowe um dos atores mais lindos da época. O primeiro ano do...

Streaming

Um amigo já tinha me avisado sobre esse filme. Mas eu não me lembrava se ele havia falado se era ruim ou bom, rs....