fbpx

Um pequeno filme chamado Paixão Inocente

Não tinha ouvido falar de Paixão Inocente, que estreia hoje nos cinemas, antes de assisti-lo. Dessa forma, fui sem saber o que esperar. O que vi foi um belo pequeno filme, que tem alguns momentos um pouco arrastados mas que no final deixa uma lembrança de uma obra sensível. Com poucos diálogos e uma interessante trilha sonora, traz boas atuações do elenco. Mas não se engane, não é um filme para todos os gostos já que muitos podem se sentir incomodados com o ritmo, que é lento.

Desde a primeira cena, que mostra uma família aparentemente feliz tirando fotos, é fácil perceber pelos olhos do pai, Keith (Guy Pearce), que a situação não é tão harmoniosa quanto parece. Quando Sophie (Felicity Jones) chega na casa para um intercâmbio e deixa-se claro que ela tem mais de 18 anos, também é possível adivinhar que um relacionamento entre o pai frustrado e a garota sensível que se julga incompreendida não vai demorar a acontecer. As situações podem ser mais do que esperadas, mas a forma de contá-las é bem diferente do esperado. Sem cenas de sexo, sem gritos e sem explicações demais.

No papel do pai, Keith, Guy Pearce tem a melhor atuação da carreira. Sempre um ator antipático, aqui ele demonstra ter coração e sensibilidade. Felicity Jones funciona bem como Sophie assim como Amy Ryan, como a esposa, inicialmente identificada como a antagonista da história. Mas quem surpreendeu e capturou minha atenção durante todas as cenas em que apareceu foi Mackenzie Davis, como a filha do casal, Lauren. Já havia achado que ela tinha uma presença interessante em Namoro ou Liberdade, a comédia romântica estrelada por Zac Efron. Mas aqui ela realmente brilha. Terá com certeza uma bela carreira pela frente.

Eliane Munhoz

Mackenzie Davis

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *