fbpx

Outro filme fofo da Netflix: Para Todos os Garotos que Já Amei

A Netflix vem recuperando o prestígio das comédias românticas com filmes que vem sendo extremamente comentados nas redes. Adoro isso! Creio que todos aqueles que tem uma lado de garota adolescente que não morre, também.  Esse novos filmes incluem não só aquelas direcionadas para jovens adultos como, por exemplo,  O Plano Imperfeito, mas também aquelas para o público teen.  Foi o caso do mega-sucesso A Barraca do Beijo, e agora novamente com Para Todos os Garotos que já Amei, que já está disponível no serviço.

@Divulgação

O filme é baseado em um livro de sucesso de Jenny Han (disponível no Brasil), que conta a história de uma garota com ascendência coreana que guarda suas cartas de amor em uma caixa de chapéu que ganhou da mãe. Mas não são cartas escritas para ela, e sim por ela. Uma para cada garoto que Lara Jean –  de 16 anos –  já amou : cinco ao todo. Escrevendo,  a menina consegue abrir o coração e colocar em palavras tudo aquilo que não é capaz de dizer em voz alta. São palavras, afinal, que jamais serão lidas por ninguém. Pelo menos era o que ela pensava. Quando, porém, essas cartas secretas são enviadas aos destinatários, a vida de Lara Jean sai do papel e se transforma em algo que ela não pode mais controlar.

Para todo mundo que cresceu assistindo aos  filmes de John Hughes, especialmente Gatinhas e Gatões, ao qual o filme faz uma referência, é uma delícia ver essa “ressurreição” das comédias românticas feitas com bom gosto e doçura.  Isso tudo sem perder a comunicação com a geração teen atual.  Lara Jean pode ser tímida e “invisível”, como ela mesma diz, mas sabe o que quer – ou pelo menos acha que sabe. Os garotos que ela amou, entre eles, Josh (Israel Broussard, de Extinção, também da Netflix) e principalmente Peter (Noah Centineo, da série Os Fosters), são fofos e apaixonantes para qualquer garota.

@Divulgação

Eu sinceramente não gostei muito da atriz Lana Condor (a Jubilee de X-Men: Apocalipse), mas acho que ela acaba funcionando no papel, especialmente nas cenas com o pai (o sempre fofo John Corbett) e com as irmãs. É bom dizer, entretanto, que eu também não gostava de Molly Ringwald como atriz  em Gatinhas e Gatões, e ela ajudou a transformar o filme num clássico. Então, é melhor deixar a análise fria  de lado e entrar no clima gostoso do filme.

@Divulgação

No final, o filme tem um pouco de todas as personagens clássicas dos filmes do gênero. Além dos vários triângulos amorosos, tem o pai compreensivo, a irmã caçula mais perspicaz que todo mundo, a garota má que se acha melhor que todo mundo, a amiga diferentona, e a descoberta do amor com quem você menos espera. Se você é como eu, que adora esse tipo de filme, com certeza vai gostar de Para Todos os Garotos que já Amei.

@Divulgação

Nos livros, essa história é a primeira de uma trilogia. Pelo sucesso, é bem provável que venha pelo menos uma sequência de filme por aí. Um belo final para a determinação de Jenny Han. Diz a lenda que vários estúdios se interessaram em transformar seu livro em filme, mas todos eles queriam uma atriz loura para o papel de Lara Jean. Ela bateu o pé e acabou aceitando a proposta do único que aceitou manter a personagem asiática. Valeu a espera!

@Divulgação

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *