fbpx
Conecte com a gente

Olá, o que você está procurando?

Cinema

O mundo sertanejo de Coração de Cowboy

É interessante que mesmo depois do enorme sucesso de Dois Filhos de Francisco, poucos tenham sido os filmes feitos mostrando o universo da música sertaneja. Pelo menos, que eu saiba. Mas, de qualquer maneira, agora está chegando um novo, Coração de Cowboy, que estreou essa semana nos cinemas. O filme segue a cartilha de filmes americanos do gênero, com o jovem astro da música que volta para a sua terra em busca de suas raízes e do sentido das coisas. É bem feito, e vai agradar aos fãs desse tipo de música.

Ele conta a história de Lucca (Gabriel Sater), um jovem músico apaixonado pela música sertaneja. Depois de uma tragédia na infância, Lucca se tornou um grande sucesso, só que cantando um estilo de música de mais apelo comercial. Já no auge da fama, ele tem um desentendimento com sua empresária (Françoise Forton) durante uma sessão de gravação. Resolve então voltar à sua cidade natal para se conectar com suas raízes e reencontrar sua verdadeira inspiração. Lá terá também a difícil tarefa de se reencontrar seu pai (Jackson Antunes), e ainda vai conhecer uma dona de bar (Thaila Ayala) de temperamento bem forte.

O próprio diretor, o estreante em longas, Gui Pereira, assumiu que o filme é uma homenagem ao universo sertanejo, e especialmente a Chitãozinho e Xororó (que fazem uma pequena participação). Tanto que há várias músicas cantadas deles no filme, inclusive a famosa Evidências (impossível não sair do filme cantarolando). Quem assina a trilha sonora é Lucas Lima, genro de Xororó, que além de canções conhecidas, também compôs algumas inéditas.

É claro que o filme tem seus altos e baixos. Algumas vezes, a narrativa é interrompida para a inclusão de algum número musical, o que deixa a história um pouco truncada. Apesar de obviamente não ser um ator, mas um cantor que atua, Gabriel Sater (filho de Almir), é lindo, canta bem, e tem até alguns bons momentos. Thaila Ayala, como seu par romântico, tem um de seus melhores momentos no cinema – faz até um sotaque do interior. A química dos dois é boa.

Eu tive a oportunidade de conversar com Gabriel logo após a exibição do filme para a imprensa – ele é ainda mais lindo ao vivo. Foi uma simpatia. Veja nosso papo abaixo:

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar de ler

Cinema

Já faz muito tempo que o Brasil tenta, tenta, e não chega lá entre os finalistas do Oscar. A última vez foi no século...

Cinema

Muita coisa boa chegando no streaming e no cinema. Começando pelo cinema, eu já aviso que sou mega fã dos dois filmes dos Caça-Fantasmas...

Cinema

Tenho uma certa dificuldade de lidar com gente que fala demais. Daquele tipo que adora ouvir sua própria voz, sabe como é? Então para...

Cinema

Para mim, Downton Abbey é uma das melhores séries já feitas. É um novelão, com um refinamento inglês, e ainda um aspecto histórico interessantíssimo....

Cinema

Lembro bem quando estreou na Broadway Querido Evan Hansen. Foi um grande sucesso. Seu protagonista, na época o quase desconhecido Ben Platt, ganhou o...

Cinema

Filmes de ação estrelados por mulheres se tornaram praticamente um novo gênero no streaming. É só pensar em Charlize Theron (Atômica ainda é o...

Streaming

A Netflix tem lançado todos os meses diversos filmes que se enquadram no suspense psicológico. Ou seja, aquele tipo de filme em que a...

Cinema

Já faz tempo que a gente começou a ouvir falar de De Volta à Itália. Aqui mesmo, eu já tinha feito uma matéria sobre...