fbpx
Conecte com a gente

Olá, o que você está procurando?

Cinema

O drama imperdível e real de Till – A Busca por Justiça

Desde que a temporada de premiações começou, a gente vem ouvindo falar da atuação de Danielle Deadwyler em Till – A Busca por Justiça. O filme estreia nessa quinta nos cinemas por aqui, e é possível ver a razão de todo esse buzz. Ela realmente está sensacional. Digna, pronta a explodir a qualquer momento pela revolta, tristeza e vazio. Deveria ter sido indicada ao Oscar – infelizmente ficou de fora. Mas o filme não é só para ser visto por causa da atuação de Deadwyler. É uma história forte, triste, revoltante – e muito bem contada.

O roteiro se baseia em um fato real. Mostra o que aconteceu com o garoto de 14 ano, Emmett Till, e a luta de sua mãe, Mamie Till. Em 1955, Emmett Till viajou de Chicago para o Mississippi para visitar seus primos. Antes disso, sua mãe lhe disse para tomar cuidado no estado do sul. Afinal, lá o racismo imperava fortemente. E ele receberia um tratamento diferente do que em Chicago, por ser negro. No estado do sul, o garoto e seus parentes pararam em uma loja de conveniência, onde a frentista e dona da loja, a branca Carolyn Bryant, alegou que ele lhe assobiou para ela, deixando-a desconfortável.

Mais tarde, dois homens brancos raptaram o menino de quatorze anos. Eles o mataram, lincharam, amarraram seu pescoço com arame farpado e jogaram seu corpo fora por conta do que, supostamente, teria feito. Dias depois sua mãe receberia o corpo em Chicago. Lá, ela mostrou para todo mundo o estado mutilado e inchado do corpo. A morte de Emmett Till posteriormente ajudaria no Movimento dos Direitos Civis.

O que achei do filme?

O filme tem uma sensacional reconstituição de época. A trilha sonora – ou a falta dela – ressalta todo e cada momento dessa história que provoca grande agonia. A diretora e co-roteirista Chinonye Chukwu sabe colocar sua câmera de forma a mostrar o que todos sentem – em alguns momentos a revolta, entre outros o suporte e a resignação. Da mesma forma, há cenas que vão fazer você chorar, outras revoltar. Há algumas simplesmente tocantes como  a revista na entrada do julgamento, a visão do corpo de Emmett, a reação da tia no funeral (Keisha Tillis). E, claro, especialmente a frase do tio Moses  (John Douglas Thompson) : ” não eram somente dois homens com armas naquela noite. Era cada homem branco que preferia ver um homem negro morto do que respirando o mesmo ar que ele!”.

O filme tem ainda no elenco as participações de Hayley Bennett e de Whoopi Goldberg, esta também produtora. É uma história que infelizmente ainda é atual. Somente mais de 60 anos depois de sua morte, Emmett Till deu nome a uma lei anti-linchamento, que foi promulgada em 2022, e que considera o linchamento um crime de ódio federal. O filme termina mostrando o que aconteceu com cada um dos envolvidos nessa história. E deixa você com um nó na garganta. Um grande filme para mostrar uma história que todos devem conhecer – e não esquecer.

Há também uma minissérie chamada Mulheres em Movimento, de 2022, que conta essa mesma história. Está disponível na Globoplay, e tem Adrienne Warren (de A Mulher Rei), como Mamie Till.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias

Séries

A Netflix soltou hoje um vídeo de bastidores de Stranger Things. A quinta e última temporada está ainda sendo filmada e deve estrear somente...

Streaming

Nesse dia 14 de julho, grande feriado francês devido à Queda da Bastilha, vale ver um filme francês, certo? Aqui estão seis filmes do...

Streaming

Hoje é dia de rock, bebê! O cinema já fez várias biografias de grandes nomes do rock. E nesse dia internacional do rock, aqui...

Streaming

Glen Powell é o cara que está em todas. Só nesse ano, teve três filmes super comentados. Todos Menos Você, Assassino por Acaso e...

Cinema

Um de meus filmes favoritos de desastre (um gênero que gosto muito) é Twister, de 1996. Acho que tem um roteiro arrumadinho, que consegue...

Você também pode gostar de ler

Moda

O Spirit Awards é sempre o prêmio mais despojado da Temporada de Premiações. Mas nem por isso, as atrizes deixam de se produzir com...

Streaming

Conheço muita gente que tem preconceito com musicais (eu amo). Também muita gente que tem preconceito com os grandes clássicos da literatura  no cinema...

Streaming

Ontem à noite, buscando um filme desconhecido para ver na Amazon Prime Vídeo, me deparei com esse Lobos. É uma produção de 2014, que...

Streaming

No sábado, a internet em casa ficou meio capenga então resolvi dar uma olhadinha em dois filmes da Amazon Prime que eu tinha baixado...

Cinema

Cada vez mais temos acesso a filmes que mostram para o mundo a situação de racismo dos anos 60 e 70 e ainda usando...

Séries

Tenho visto vários comentários sobre a minissérie The Stand, baseada no livro de Stephen King, lançado aqui como A Dança da Morte. Alguns positivos...

Cinema

São tantos filmes de Natal que são lançados a cada ano que é impossível dar conta de todos. Agora mesmo, recebi a informação que...

Cinema

Estive desconectada durante a manhã e quando voltei, a primeira coisa que vi foi o nome de Amy Adams no trending topics do Twitter....