fbpx
Conecte com a gente

Olá, o que você está procurando?

Cinema

O cinema argentino agora tem Minha Obra-Prima

O cinema argentino se tornou uma grife de bons filmes que, especialmente no Brasil, têm um público considerável. A maioria deles têm um grande charme, aquela coisa portenha, luxuosa e ao mesmo tempo, um pouco decadente, que fascina. E isso não sou eu que estou falando. Este é uma das primeiras frases da narração de  Minha Obra-Prima, que estreou hoje nos cinemas. Mas eu concordo plenamente com ela.

@Reprodução

A história

O filme é dirigido por Gaston Duprat (Um Cidadão Ilustre), baseado num roteiro de sua autoria e conjunto com o irmão, Andrés Duprat. O narrador que mencionei acima é de Arturo, um negociante de arte e dono de uma galeria. Ele também é amigo íntimo de Renzo, que há décadas vive pintando quadros. O problema é que depois de uma época de grande sucesso, já faz tempo que suas obras não chamam a atenção de muitas pessoas.  Renzo é aquele tipo de personagem insuportável, que se acha melhor do que todos, e que pisa em todo o mundo. O filme relata a relação de Arturo e Renzo, que, inclusive passará por várias provações e uma tremenda reviravolta.

A crítica

A amizade dos dois é uma dessas coisas difíceis de acreditar. Sendo tão insuportável – repare na cena do restaurante – , ninguém conseguiria ser amigo de Renzo por tanto tempo. Mas se você embarcar nessa, com certeza terá um filme divertido e interessante, apesar de melancólico em diversos momentos. Mas quem admira a cultura argentina, como eu, vai perceber que a diversão e a melancolia seguem juntas sempre por lá. E, veja bem, isso não é uma crítica, somente uma constatação.

@Reprodução

Com dois atores excelentes – Guillermo Fancella e Luis Brandoni  – o filme segura sua atenção para saber o que vai acontecer com esses dois. E quando parece que você adivinhou, ele tem aquela reviravolta. Minha Obra-Prima pode não ser uma obra-prima, mas é um retrato divertido sobre o que importa e o que não no mundo das artes.

@Reprodução

Curiosidade: O filme teve cenas feitas no Museu de Arte Contemporânea de Niterói.

 

 

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar de ler

Cinema

A produção de O Último Duelo, que estreou nessa semana nos cinemas, é maravilhosa. Isso sempre é um destaque na filmografia de Ridley Scott....

Cinema

Em 2018, o filme Halloween deu um “refresh” na franquia de mais de 40 anos. Quebrou vários recordes, e fez muito dinheiro. Já deixou...

Cinema

Ridley Scott é quase sempre referência quando se fala em um espetáculo grandioso. Já foi indicado quatro vezes ao Oscar, uma delas por Gladiador....

Cinema

O feriado de Nossa Senhora de Aparecida me parece um bom dia para escrever a crítica do filme de Nossa Senhora de Fátima. Fátima:...

Cinema

O final de semana está chegando e o grande acontecimento é a estreia de Venom: Tempo de Carnificina no cinemas. Ele é o destaque...

Cinema

Lembro que quando Venom  estreou em 2018, todo mundo esperava pelo pior. Mas o filme tinha um bom ritmo, e ainda os diálogos divertidos...

Streaming

Comédia romântica é um de meus gêneros preferidos. Sempre busco alguma perdida no streaming. E, por várias vezes, passei por Te quiero, Imbecil na...

Cinema

Eu gosto dos filmes de James Bond da fase de Daniel Craig. Menos Spectre, que é bem fraco, especialmente no que diz respeito à...