fbpx

Julia Roberts merece minha homenagem no Dia dos Namorados

Julia Roberts é uma grande estrela. Já ganhou Oscar, é um dos maiores nomes do cinema. Mas, na minha opinião, ela tem que ser homenageada nesse dia dos namorados por uma razão. Ela sabe escolher como ninguém um filme romântico capaz de fazer uma mulher rir, chorar, enfim colocar as emoções para fora.

Ela, por exemplo, é a atriz principal de meu filme romântico favorito:Uma Linda Mulher. Foi onde Julia se transformou em estrela, fazendo um par inusitado com Richard Gere. Ela conseguiu passar uma doçura e uma naturalidade raramente vistas nas telas. O mundo era outro e o cinema também. Mas até hoje é impossível não adorar o filme, que foi um enooorme sucesso de bilheteria e lhe deu uma indicação ao Oscar.

Outro de meus favoritos de todos os tempos é Um Lugar chamado Notting Hill. “Sou apenas uma garota olhando para um rapaz, pedindo que ele a ame”. Que mulher não suspirou nessa cena entre Julia e Hugh Grant. E também na brilhante cena perto do final quando ela declara que vai ficar mais um tempo na Inglaterra. Simplesmente um filme delicioso.

Pouca gente se lembra hoje de Teoria da Conspiração onde Mel Gibson é um cara meio louco, que acha que está sendo vítima de uma conspiração. E Julia é a mulher que tenta ajudá-lo. Ele é totalmente apaixonado por ela enquanto ela aos poucos vai gostando dele. Naquela época, Mel ainda era o doce Mel, ou seja não era difícil compreender (e aceitar) a situação. Ainda hoje, um bom filme para ver e rever.

Onze Homens e um Segredo é um filme que dificilmente pode ser categorizado como romântico. Mas o amor que George Clooney consegue passar cada vez que olha para Julia Roberts no filme é simplesmente inesquecível para mim. E ela nem estava tão bonita na maior parte do filme.

Não vi Tudo por Amor na época em que ele e a música de Kenny G foram um enorme sucesso. Vi há pouco tempo na TV. É bonito, e uma bela atuação de Julia como Hillary, apaixonada pelo doente terminal, Victor. “E se você voltar comigo para o hospital e lutar por nós, lutar mesmo por nós, eu nunca deixarei você, Victor!” E todo mundo chora…

Eu fui uma daquelas que torceu por Julia em O casamento do meu melhor amigo. Talvez pelo carisma da atriz, porque ela soube passar tão bem as loucuras que uma mulher apaixonada acaba fazendo. Apesar de adorar o filme, ainda hoje fico com a sensação que o final não foi certo. Dermot Mulroney deveria ter deixado a certinha Cameron Diaz para ficar com Julia. Mas pelo menos ela se divertiu com Rupert Everett.

Por tudo isso, os/as fãs dos filmes românticos deveriam fazer uma homenagem à Julia Roberts. Afinal ninguém nos fez sonhar de verdade com um amor verdadeiro no cinema como ela. Ou como dizia sua personagem Vivian em Uma Linda Mulher, “eu quero um conto de fadas”… Todas nós, querida!

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *