fbpx
Conecte com a gente

Olá, o que você está procurando?

Cinema

“Ela” é um filme diferente de tudo o que você já viu

Ela será um daqueles filmes que provocam discussões acaloradas sobre o significado das coisas, para onde vamos etc. Mas na verdade, pelo meu ponto vista, é apenas uma das mais tristes histórias que já vi. Fala sobre solidão, sobre a dificuldade se se relacionar num futuro próximo e também sobre um amor desesperado.

Quarto filme dirigido por Spike Jonze, é o primeiro feito a partir de um roteiro original seu. Como os anteriores – Quero ser John Malkovich, Adaptação, Onde vivem os Monstros -, pode parecer estranho à primeira vista, mas é muito bem realizado, com atores muito bem dirigidos e uma história aparentemente absurda que se torna bem resolvida. Seu roteiro inclusive levou o prêmio do sindicato, o Globo de Ouro e o Broadcast Film Critics, entre outros.

Ela acompanha o dia de Theodore (Joaquim Phoenix), que trabalha numa empresa especializada em escrever cartas para outras pessoas.  Deprimido, praticamente sem amigos, ele resolve comprar o “primeiro sistema de inteligência artificial” para organizar sua vida e seu dia a dia. É assim que ele descobre Samantha, que não é um simples sistema operacional. Com uma voz sexy (de Scarlett Johansson), uma curiosidade e atitude humanas, Samantha vira o mundo dele de cabeça para baixo. Mas o interessante é que nada disso é tratado como ficção científica. E sim como uma situação um pouco mais além do que aquela que vivemos hoje.

O relacionamento e o amor que Theodore e Samantha começam a viver é abordado de forma plenamente normal, com todas as suas dificuldades e belezas. E aí vem a maior surpresa do filme. A incrível interpretação de Joaquim Phoenix como Theodore. Normalmente um ator antipático, acostumado a personagens azedos, ele aqui está totalmente entregue. Doce e triste, sem uma gota de sua normal rispidez. Pena que este é um ano de interpretações realmente superlativas no Oscar. Em outros anos, ele levaria fácil a estatueta, mesmo com todas as suas esquisitices passadas.

Muito se falou da interpretação de Scarlet somente como a voz de Samantha. E tudo é verdade. Ela está ótima, criando um personagem apaixonante mesmo sem corpo, sem expressão facial. O diretor havia chamado a atriz Samantha Mathis para o papel. Ela inclusive chegou a acompanhar as filmagens e interagiu com Joaquim. Mas no final, o diretor achou que precisava de algo diferente. Como não se ouviu a interpretação de Mathis, fica difícil entender qual era o caminho anterior. De qualquer maneira, ponto pra Scarlet, que subiu mais um degrau em sua carreira e teve sua voz premiada no Festival de Cinema de Roma além de indicações em vários outros. O filme ainda se dá ao luxo de ter Amy Adams, Olivia Wilde e Rooney Mara em pequenos papéis. ,  como a vizinha, uma possível namorada e a ex-mulher de Theodore.

Ela concorre a vários Oscars: melhor filme, canção – The Moon Song, trilha sonora, cenografia e roteiro original (para o qual é o favorito). Foi ainda eleito melhor filme pelo National Board of Review. Mas no Oscar deste ano, com tantos bons filmes, deve levar somente o prêmio de roteiro. É esperar pra ver.

Eliane Munhoz

 

2 Comentários

2 Comments

  1. Liliane Coelho

    14 de fevereiro de 2014 às 11:43 pm

    O filme é realmente muito diferente, inovador. Achei um charme, realmente envolvente. Merece o Oscar de roteiro, mas senti falta de Phoenix e Johasson entre os indicados, mas como você disse é um ano forte de interpretações.

  2. Eduardo Pepe

    16 de fevereiro de 2014 às 3:29 am

    Embora o roteiro de Trapaça seja divertido, o de Dallas muito bem equilibrado entre crítica e humanismo e os de Blue Jasmine e Nebraska sejam ótimos, Ela simplesmente precisa muito do Oscar de roteiro original.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Últimas Notícias

Gossip

Ricky Martin sempre me passou a imagem de um cara gente boa, esforçado e bem-humorado. Cheguei a vê-lo na Broadway fazendo Che Guevara numa...

Streaming

No sábado, a internet em casa ficou meio capenga então resolvi dar uma olhadinha em dois filmes da Amazon Prime que eu tinha baixado...

Streaming

Carnival Row estreou há uns três anos na Amazon Prime. Era uma daquelas séries que eu sempre pensava em começar a ver, mas acabava...

Streaming

Todo mundo estava esperando esses dois últimos episódios da quarta temporada de Stranger Things. Havia a preocupação de que um personagem principal morreria. E...

Streaming

O Star Plus não tem a quantidade de lançamentos novos como Netflix ou HBO Max. Mas tem umas coisas bem interessantes chegando.  Todas nesse...

Você também pode gostar de ler

Cinema

No fim da semana passado,  o nome  de Olivia Wilde ocupou boa parte da mídia. O motivo principal foi que no meio de sua...

Cinema

Lá no início de dezembro, quando os prêmios dos críticos começaram a ser anunciados, muito gente falou de Joaquim Phoenix em Sempre em Frente....

Premiações

O Framboesa de Ouro tem que ser levado como uma piada, claro! Na hora de escolher os piores filmes do ano, sempre escolhem filmes...

Cinema

Lembro bem quando estreou na Broadway Querido Evan Hansen. Foi um grande sucesso. Seu protagonista, na época o quase desconhecido Ben Platt, ganhou o...

Streaming

Véspera de feriado chegando e tem muita coisa boa estreando no cinema e no streaming . No cinema dois lançamentos bem diferentes. O primeiro...

Cinema

Você provavelmente já ouve falar de A Mulher na Janela há muito tempo. O filme era para ter sido lançado nos cinemas em outubro...

Streaming

Nos últimos meses, a Netflix não vem tendo aqueles lançamentos mega esperados. Tanto que tenho visto muito mais a Amazon Prime. Mas, agora em...

Premiações

Sempre digo que o SAG’s é minha premiação favorita. É curto, geralmente tem duas horas. Tem menos gente que os demais. E, principalmente, é...