fbpx

Dois filmes sobre faróis e seus homens loucos no Telecine.

Filmes onde faróis tem um papel importante há aos montes. Geralmente tem algo a ver com drama, ou com terror. Dois que me vem à mente são Ilha do Medo (disponível na Amazon) e A Luz entre Oceanos (Apple TV e Google Play para aluguel ou compra). Mas, na verdade o que me surpreendeu foi achar dois filmes muito similares no Telecine, onde o farol tem um papel bem importante. Até no título: O Farol e O Mistério do Farol

O Farol

Eu assisti o filme nos cinemas. E gostei muito de toda a loucura que ele mostra. Mas, é claro, não é para todos os gostos. Muitos odeiam. Tudo se passa no final do século 19. Um novo zelador chega a uma remota ilha na Nova Inglaterra para ajudar o faroleiro local. Só que o isolamento causa tensão na convivência entre os dois homens. Entre tempestades e goles de querosene, o novato tenta desvendar os mistérios que existem nas histórias de pescador de seu chefe.

O filme é de 2019, dirigido por Robert Eggers (A Bruxa). A fotografia em preto e branco é um deslumbre. Tanto que teve as únicas indicações do filme  tanto para o Oscar como para o BAFTA.  Mas O Farol ganhou um prêmio especial em Cannes e  Willem Dafoe faturou o Satellite Awards e o Spirit. Mas, para mim, o grande destaque é Robert Pattinson. É impossível desgrudar os olhos dele. Vale conhecer o filme no app do Telecine, nem que seja para odiar, rsrs.

O Mistério do Farol

Assumo que na verdade esse filme na lista do Telecine só me chamou a atenção porque tem Gerard Butler no elenco. Ele não foi para o cinema, e, na verdade Butler nem é o ator principal. Isso fica a cargo de Peter Mullan (Ozark). Ele é o líder de um grupo de três guardas que chegam para um turno de seis semanas em uma ilha desabitada com um farol, a 20 milhas da costa escocesa. Logo, Thomas ( Peter Mullan), James (Gerard Butler) e Donald (Connor Swindells) se instalam em suas rotinas habituais e solitárias. Só que algo inesperado acontece. Eles tropeçam em algo que não é seu e que não sabem de onde veio. E com a presença desse objeto vem o início de uma luta pela sobrevivência. Aos poucos, os três homens são conduzidos à destruição por meio da ganância pessoal aliada ao isolamento e à paranoia.

O filme é um tanto cansativo. Cenas longuíssimas fazem  com que o início seja bem interessante, mas depois de um certo tempo, se torna chato e incongruente. O ponto positivo é que tem Gerard Butler mostrando todo o seu potencial como ator. Ele não usa seus tiques (charmosos, mas amplamente conhecidos, rs). Talvez, porque esteja longe de Hollywood, em sua terra natal, ele desejasse aproveitar a oportunidade para fazer algo bem diferente. O Mistério do Farol, entretanto, é um filme bem mediano. Mas, vale pelos atores.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *