fbpx

Dois filmes para comparar na Netflix

O cinema têm dessas coisas. Muitas vezes, uma história é “descoberta”, e fazem filmes muito parecidos com a mesma trama. Mas, eu confesso que nunca tinha visto um caso como esse. Dois filmes que estão disponíveis na Netflix, têm praticamente cenas iguais, e é divertido compará-los. Até porque os dois são bons e valem ser conhecidos. São eles Nada a Esconder e Perfectos Desconocidos.

@Reprodução

Um é francês e outro é espanhol. Ambos, na verdade, são versões do filme italiano Perfetti Sconosciuti, de Paolo Genovese, que eu confesso que nunca assisti (mas fiquei muito curiosa). Está disponível na Claro Vídeo, YouTube Filmes e no ITunes. O filme italiano foi um grande sucesso quando foi lançado em 2016, e inclusive ganhou o David Di Donatello, o Oscar italiano de melhor filme e roteiro (trailer abaixo).   Com isso, é claro, todo mundo ficou entusiasmado. Isso porque o princípio da história é bem interessante, e retrata muito o mundo em que vivemos. São sete pessoas, três casais e um solteiro, que se reúnem para um jantar. Num determinado momento, resolvem começar um jogo. Todos deverão colocar seus celulares no centro da mesa, e mostrar ao grupo qualquer mensagem, email, ligação, que receberem enquanto estiverem ali.

Perfectos Desconocidos

É claro que isso vai provocar muita confusão. Tanto o filme espanhol como o francês tem a estrutura de uma peça de teatro. Praticamente toda a ação se passa no apartamento. O primeiro que saiu foi o espanhol, Perfectos Desconocidos.

Nada a Esconder

Dirigido por Alex de la Iglesia, que já fez O Bar (que também está na Netflix), Perfectos Desconocidos foi lançado em 2017. Traz várias estrelas do cinema espanhol, como Belén Rueda, e Ernesto Alterio, da série As Telefonistas, super popular na Netflix. Já Nada a Esconder, foi produzido no ano passado, e chegou na Netflix como uma de suas produções originais. Sua estrela é Berenice Bejo, que fez o filme premiado com o Oscar, O Artista. O diretor é Fred Cavayé.

Comparando os dois…

É divertido comparar os dois. Obviamente o francês é mais elegante, e o espanhol é mais “caliente”. Qual você vai gostar mais depende de seu gosto pessoal quanto a estilo, trilha, fotografia, e atuação. Ambos são ótimos, mas uma vez que você assiste o primeiro, o segundo vai perder muito de seu impacto. Eu vi o francês primeiro, foi indicação de um amigo.  Já aviso, entretanto, que os finais são diferentes. Pessoalmente, gostei mais do final do espanhol.

@Reprodução

A história continua a ter apelo. O México também produziu sua versão, que também teve o título de Perfectos Desconocidos. Estreou nos cinemas por lá no dia de Natal, e ainda não foi exibido por aqui. De qualquer maneira, alguém duvida que logo logo Hollywood também vai fazer sua versão? Rsrs!

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *