fbpx

Conhecendo mais sobre Isabela Moner, de Transformers

Quando você vê muitos filmes e séries como eu, é interessante perceber que de vez em quando você encontra alguém que é aquele ator natural, que tem um “star quality”. E nesses casos, você pode com certeza apostar que ele/ela será um grande sucesso. É o caso de Isabela Moner, que esteve no Brasil para promover o lançamento de Transformers: O Último Cavaleiro, que estreia nessa quinta-feira nos cinemas. Na tela, é possível ver que ela é boa atriz, que a câmera a adora, e que você não consegue tirar os olhos dela.

No filme, ela é Isabella, uma jovem órfã, que salva alguns garotos que acabam perdidos no meio de uma luta envolvendo Transformers e soldados determinados a exterminá-los. Logo ela cruza o caminho com Cade (Mark Wahlberg), que acaba meio que a adotando, e levando-a para o meio de sua luta para salva os bons Transformers.

Resultado de imagem para isabela moner transformers

Apenas com 16 anos, que foram completados quando ela estava aqui no Brasil, ela começou na Broadway, em uma montagem de Evita. Mas logo começou a fazer papéis pequenos no cinema e na TV como na série Growing Up Fisher, estrelada por J. K. Simmons. A série durou somente uma temporada mas abriu caminho para uma nova oportunidade. Ela se tornou uma das atrizes principais da série da Nickelodeon, 100 Coisas para fazer antes do High School, que teve 25 episódios…

Resultado de imagem para isabela moner 100 things to do before high school

… e ela ainda é cantora, dançarina e toca o ukelele. Veja só um de seus vídeos:

Após Transformers, ela estará em outra grande produção, Soldado, a continuação de Sicario, programada para estrear ainda este ano nos cinemas e onde contracena com Josh Brolin e Benicio Del Toro. Além de toda essa carreira surpreendente para uma garota de 16 anos, eu pude comprovar durante a entrevista exclusiva que ela me concedeu, que é simpática, articulada e tem personalidade. Adorei conversar com ela um dia depois de seus aniversário de 16 anos. Você pode ver a entrevista na íntegra abaixo:

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *