fbpx

Chloe Grace Moretz e Isabelle Huppert juntas em Obsessão

Chloe Grace Moretz é uma ótima atriz. Mas ela adora fazer uns filmes com personagens um tanto neuróticos. Só esse ano, já vi dois, e gostei de ambos. O melhor deles, Suspiria, e O Mau Exemplo de Cameron Post. Agora chega o terceiro,  Obsessão, que estreia essa semana nos cinemas. Chloe está ótima como sempre. Já o filme têm seus altos e baixos.

 

Na verdade, ele me parece aqueles filmes que eram muito populares nos anos 90. Sabe aquele tipo de suspense quando uma pessoa desavisada acaba se envolvendo com outra maluca, e no final acaba sofrendo barbaridades. Tipo Atração Fatal, Obsessão Fatal (sim, Fatal é uma palavra muito popular nessa linha de filmes) , A Mão que Balança o Berço,  e principalmente, Mulher Solteira Procura. Aliás, cada vez que olhava para Isabelle Huppert aqui em Obsessão, me lembrava de Jennifer Jason Leigh no outro filme. Mas vamos à história…

A História

Chloe Grace Moretz é uma jovem  chamada Frances que se mudou para Nova York depois da morte da mãe. Ela mora com uma amiga, Erica (Maika Monroe, que trabalhou com Chloe em A 5ª Onda), e é garçonete em um restaurante chique. Um belo dia ela encontra uma bolsa de grife no metrô, e resolve devolvê-la para sua dona (tem o endereço dentro, mas não o telefone). Ao chegar na casa, ela conhece Greta (Isabelle Huppert), que fica agradecida pela devolução. As duas começam a conversar, e a partir daí nasce uma amizade. Só que é óbvio que há algo errado nessa história. Para qualquer um que já assistiu qualquer um dos filmes do gênero que mencionei acima, já se sabe perfeitamente o que vai acontecer. E quem viu o trailer abaixo também, já que mostra quase tudo (rs).

Mas, com um bom diretor  como Neil Jordan por trás das câmeras, o filme acaba funcionando bem em alguns momentos. Sim, você leva uns sustinhos, e Greta consegue assustar muito. Dito isso,  há outros problemas além da previsibilidade. Frances é muito tontinha, que não percebe que toda aquela história é muito estranha. E além do mais, parece que o roteiro foi escrito há algum tempo, quando ainda não havia formas de localizar celulares.

O Elenco

O filme ainda desperdiça alguns personagens que poderiam ser mais interessantes. O pai de Frances de repente desaparece, e Stephen Rea… coitado… O que um indicado ao Oscar e vencedor de BAFTA tem que fazer para sobreviver nessa vida… E, ao contrário da maioria, não acho que Isabelle Huppert é isso tudo. Para mim ela faz tudo sempre igual, seja uma psicótica, ou uma atriz chique com cigarro na mão no meio de Paris. Ok, já espero os xingamentos depois de escrever isso (rs), mas é minha opinião.

Imagem relacionada

Fotos de divulgação

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *