fbpx

A verdadeira história da morte de Sharon Tate

O filme só estreia no próximo dia 15, mas hoje foi o dia da sessão para a imprensa de Era uma Vez em Hollywood. O filme de Quentin Tarantino teve sua primeira exibição no Festival de Cannes, com excelentes críticas. É realmente desde já um dos melhores filmes que vi este ano. Só que  a matéria de hoje não é ainda a crítica do filme. É outra coisa! Para que você saiba, o filme conta a história de um astro de TV em decadência (Leonardo DiCaprio) e seu melhor amigo dublê (Brad Pitt). Estes dois personagens são fictícios. Entretanto, ao mesmo tempo, há vários personagens que realmente existiram na vida real. O principal deles é Sharon Tate (interpretada maravilhosamente por Margot Robbie), assassinada há 50 anos pelo bando de Charles Manson. Manson e seus seguidores também fazem parte do filme.

Margot Robbie no filme e Sharon Tate

Era uma vez em Hollywood toma diversas liberdades com a história. Mas também conta muita coisa que realmente aconteceu. Então antes de ver o filme, você pode saber aqui o que se passou de verdade quando Sharon Tate foi brutalmente assassinada em 9 de agosto de 1969, aos 26 anos.

Quem era Sharon Tate?

Nascida em Dallas, Sharon participou de vários concursos de beleza. Logo começou a aparecer em pequenos papéis em séries como A Família Buscapé e O Agente da UNCLE. Na época, ela namorava com o cabeleireiro Jay Sebring (Emile Hirsch no filme). Só que algum tempo depois ela conheceu o diretor Roman Polanski (Rafal Zawierucha), quando ele a dirigiu no clássico A Dança dos Vampiros, e os dois foram morar juntos. Mas Jay continuou a ser um amigo sempre presente. Tanto que ele estava com Sharon na noite de sua morte (Polanski estava na Europa). Depois de A Dança dos Vampiros, Sharon fez só mais três filmes: O Vale das Bonecas, Arma secreta contra Matt Helm (mostrado numa bela cena de Era uma Vez…) e Eram 13…mas Faltava uma, que foi lançado somente depois de sua morte.

Sharon Tate e Roman Polanski

Quem era Charles Manson?

Ele era um ladrãozinho barato, que passou a maior parte de sua vida anterior ao assassinato de Sharon numa prisão. Quando saiu , em 1967, era a época do movimento hippie e do verão do amor. Logo se auto-denominou um guru e reuniu um bando de seguidoras que acreditava que Manson (feito por Damon Herriman no filme) era uma reencarnação de Jesus.

Damon Herriman interpreta Charles Manson no filme

Em 1968, esse grupo se mudou para Los Angeles, para um ex-local de filmagens chamado Spahn Ranch. Lá eles trocavam a sua estadia por sexo e tarefas domésticas com o dono George Spahn, de 80 anos e praticamente cego. No filme, ele é vivido por Bruce Dern , que substituiu Burt Reynolds, que faleceu. Sua participação está em uma das melhores sequências.

Bruce Dern e o verdadeiro George Spahn

Uma amizade com um dos Beach Boys, Dennis Wilson, acabou levando Manson a conhecer muita gente de Hollywood. Um deles era Rudi Altobelli, dono da casa onde Sharon Tate morava na época de sua morte. Foi nessa época que os Beatles lançaram o Álbum Branco. Manson julgou que a canção  principal, Helter Skelter, era uma profecia sobre uma guerra que seria  causada por tensões raciais entre brancos e negros. Decidido a se preparar para “a guerra”, Manson resolveu que alguns assassinatos deveriam ser executados por sua “família”.

Sydney Sweeney e Margaret Qualley são algumas das garotas da Família Manson no filme

As mortes

O primeiro foi um traficante chamado Bernard Crowe. Depois foi a vez do professor de música Gary Hinman. Então, em 8 de agosto de 1969, Manson ordenou que alguns de seus seguidores fosse até a mansão dos Polanski, e matassem todos que estivessem lá. As vítimas, mortas com requintes de crueldade, foram Sharon (que estava grávida de oito meses), Jay Sebring, Abigail Folger, o roteirista Wojciech Frykowski e Steve Parent, que estava visitando o caseiro da propriedade. Depois disso, outras pessoas foram assassinadas em diferente ocasiões.

Margot Robbie e Emile Hirsch nas filmagens como Sharon e Jay

E depois…

Eventualmente, a “Família Manson” foi presa. Charles Manson foi condenado a prisão perpétua (ele morreu em 2017), assim como vários dos outros assassinos. Posteriormente, vários filmes e séries contaram essa história. A que mais me marcou foi uma minissérie de 1976 chamada Helter Skelter, com Steve Railsback no papel de Manson. Recentemente, ele também foi personagem da série Aquarius (disponível na Netflix), com David Duchovny. E será um dos assassinos da segunda temporada de Mindhunter, que vai estrear em agosto na Netflix. Aqui, Manson já estará na prisão, e será novamente interpretado por Damon Herriman.

Damon Herriman como Manson em Mindhunter

Fotos de divulgação

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *