fbpx
Conecte com a gente

Olá, o que você está procurando?

Cinema

A trilogia chega ao fim com Vidro

Eu simplesmente adoro Corpo Fechado. É meu filme favorito de M. Night Shyamalan. Na época, ele não teve o sucesso merecido. Antes de todos esses filmes de super-heróis povoarem a cultura pop, Shyamalan não encontrou o público esperado com suas referências. Tanto anos depois, com a carreira meio em baixa, o diretor fez Fragmentado, que conseguiu seu primeiro sucesso em anos.  O filme, com um mix de suspense e terror, era competente, mas numa boa tradição do diretor, tem um “twist” no final, que o tornou grande! Era a ligação de Fragmentado com Corpo Fechado. E logo seria anunciado que os dois  filmes faziam, na verdade, parte de um trilogia.  A terceira chega essa semana aos cinemas, e se chama Vidro.

A História

Shyamalan juntou a história de Kevin Wendell Crumb (James McAvoy), com suas 24 personalidades, com as de David Dunn (Bruce Willis), e Elijah Price (Samuel L. Jackson). Quando vidro começa, Kevin raptou um grupo de cheerleaders, e as submete  ao tratamento usual. David trabalha agora em conjunto com seu filho Joseph (Spencer Treat Clark, o mesmo de Corpo Fechado, agora adulto) e continua seu trabalho de vigilante, salvando pessoas. Já Elijah continua internado num sanatório desde o final de Corpo Fechado.

Só que quando David sai em busca de Kevin para salvar as garotas, os dois acabam juntos em um sanatório, o mesmo lugar onde está Elijah. Quem está analisando o caso deles é a Dra. Ellie Staple (Sarah Paulson, assustadora em seus vários tons de rosa), que pretende curá-los ao convencer os três que eles não tem nada de super-heróis.

Foram necessários 19 anos para que Shyamalan conseguisse completar sua trilogia. Na verdade, o personagem de Kevin Wendell Crumb era para ter sido um dos adversários de David ainda em Corpo Fechado. Mas o diretor não conseguiu adicionar mais esse ramo da história ao filme. O enfrentamento dos dois chega finalmente agora em Vidro.

A opinião

O filme tem várias boas ideias e caminhos de roteiro. Mas, como fã de Corpo Fechado, apesar de ter ficado feliz em poder ver esses personagens novamente, devo dizer que faltou algo a Vidro. Talvez seja uma força que envolva o espectador na história. Parecia que a sensação de cansaço de David Dunn passava para o público. Como diretor, Shyamalan também já viu dias melhores. As cenas de lutas sob o ponto de vista dos atores são fracas e mal filmadas.

Mas, espero que Vidro encontre seu público, talvez para pessoas que não sejam tão envolvidas com a história, ele possa funcionar melhor. De qualquer maneira, mais uma vez o destaque vai para James McAvoy. O que ele faz com as diferentes personalidades de Kevin mereceria um Oscar. Pena que isso é bem pouco provável!

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar de ler

Streaming

A carreira  de Sarah Paulson começou nos anos 90, mas ela só chegou ao ápice após sua associação com Ryan Murphy. Tudo começou com...

Cinema

Mesmo com seu 69 anos, Liam Neeson não para de trabalhar. Ele já anunciou que não quer fazer mais filmes de ação, porque realmente...

Cinema

Já faz muito tempo que o Brasil tenta, tenta, e não chega lá entre os finalistas do Oscar. A última vez foi no século...

Cinema

Muita coisa boa chegando no streaming e no cinema. Começando pelo cinema, eu já aviso que sou mega fã dos dois filmes dos Caça-Fantasmas...

Cinema

Os dois filmes de Caça-Fantasmas, produzidos nos anos 80, são divertidos e deliciosos companheiros de tardes de toda uma geração. Atualmente estão disponíveis no...

Cinema

Tenho uma certa dificuldade de lidar com gente que fala demais. Daquele tipo que adora ouvir sua própria voz, sabe como é? Então para...

Cinema

Para mim, Downton Abbey é uma das melhores séries já feitas. É um novelão, com um refinamento inglês, e ainda um aspecto histórico interessantíssimo....

Cinema

Lembro bem quando estreou na Broadway Querido Evan Hansen. Foi um grande sucesso. Seu protagonista, na época o quase desconhecido Ben Platt, ganhou o...