fbpx

A estreia de Guardiões da Galáxia, o novo filme da Marvel

Produzido pela Marvel, Guardiões da Galáxia, que estreia este fim de semana nos cinemas brasileiros e norte-americanos, é muito diferente dos filmes anteriores do estúdio. Não espere o ritmo, a ação e muito menos os heróis de filmes como Os Vingadores, Homem de Ferro, Thor e Capitão América. É principalmente dedicado para aqueles que gostam de ficção científica, mas com bom humor e principalmente cheio de referências para fãs do gênero.

As “homenagens” já começam com a sequência inicial, uma clara lembrança da cena inicial de Os Caçadores da Arca Perdida. Peter Quill (Chris Pratt), está tentando roubar um artefato em um planeta desolado mas é perseguido por um grupo de soldados enviado pelo vilão Ronan (Lee Pace). Ele consegue escapar, mas não por muito tempo. Logo, se vê reunido à assassina Gamora (Zoe Saldana), ao guaxinim Rocket (voz de Bradley Cooper), ao simpático Homem-Árvore Groot (voz de Vin Diesel) e Drax (Dave Bautista), todos com objetivos muito próprios para evitar que o objeto caia nas mãos erradas.

E as “homenagens” e referências estão presentes todo tempo. A relação de Rocket e Groot lembra muito a de C3PO e R2D2 de Guerra nas Estrelas. Aliás, o filme é uma influência presente em vários momentos durante todo o filme. O mesmo se aplica a série Firefly, de Joss Whedon, no relacionamento entre os personagens e no clima como um todo.  Já o Colecionador de Benicio Del Toro parece um vilão saído de Jornada nas Estrelas, a série clássica.

A trilha sonora, com clássicos dos anos 70, é uma atração à parte, divertidíssima. Os efeitos também são bons, apesar do filme ser um pouco claustrofóbico para o meu gosto. O elenco também está ótimo, com o destaque para Chris Pratt, surpreendendo não só por se sair muito bem como o herói da história, mas também pelo físico (veja a diferença assistindo De Repente Pai, com Vince Vaughn). É assombroso! Guardiões… ainda tem as participações especiais de Glenn Close, Michael Rooker, John C. Reilly e Karen Gillan de Dr.Who. E vou ter que assistir novamente o filme para perceber a participação especial de Nathan Fillion como o “Preso Monstruoso”.

Outra razão é porque a Marvel não permitiu que a cena pós-créditos fosse exibida para a imprensa ou mesmo na pré-estreia nos Estados Unidos. Ou seja, somente em sessões normais, a partir de amanhã (31), saberemos qual é a cena adicional. Será que já tem algo a ver com Os Vingadores 2, programado para estrear no ano que vem? Ou será que vai mostrar o mais infame dos heróis da Marvel, Howard, the Duck? Ah, a curiosidade…

Eliane Munhoz

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *