fbpx

A aventura 47 Ronins diverte e entretém.

Quando começou a ser produzido, 47 Ronins era para ser algo na linha de O Senhor dos Anéis. Uma saga passada numa terra distante com guerreiros que enfrentavam todo o tipo de adversidade para salvar uma determinada terra. Mas se algo deu certo, pois o filme saiu bonito e realmente entretém, algo deu muito errado. Começando pelo resultado de bilheteria nos Estados Unidos: 175 milhões de custo de produção (algumas fontes dizem que pode ter chegado a 250 milhões) para uma receita de 38 milhões. Com isso se tornou o grande fracasso de 2013 para a Universal Pictures, produtora do filme.

Aparentemente, vários fatores influenciaram. Houve problemas entre o diretor, Carl Rinsch e o estúdio que tinham visões diferentes. Um querendo um filme de samurais clássico e o outro querendo um filme de ação com apelo comercial. O roteiro foi reescrito várias vezes. O romance passou a ter importância. Adicionou-se a bruxa (Rinko Kikuchi). O papel de Keanu Reeves foi aumentado para ter mais apelo com o público. Os atores japoneses tinham dificuldade com o inglês. A opção 3D também aumentou o custo. Ou seja, só faltou um furacão atingir o set de filmagens para completar a desgraceira.

Como se trata de uma história muito conhecida no Japão, o estúdio fez a opção de estrear o filme primeiro lá. Mas foi uma decisão errada. A história verdadeira dos 47 Ronins é uma das mais conhecidas da história do Japão. Vários filmes já haviam sido feitos por lá contando essa história de heróis. Aparentemente o povo japonês não gostou das liberdades criativas feitas numa história tão reverenciada por eles e o filme fracassou lá também

Por aqui, a história não é muito conhecida, logo estas mudanças na história não são prejudiciais. O importante é embarcar na história do incidente da cidade de Ako. Após a morte de seu líder, 47 guerreiros (chamados de Ronins, ou samurais em desgraça) sem mestre, retornam em busca de vingança. Seu líder é Oishi, que busca suporte de um homem misterioso, Kai (Keanu Reeves), um mestiço apaixonado pela filha do mestre. Para piorar, ela ainda está prometida para o assassino de seu pai.

Bela fotografia, que lembra filmes como O Clã das Adagas Voadoras e Herói, uma história envolvente, bons efeitos especiais e um excelente elenco de atores japoneses fazem de 47 Ronins uma bela aventura. Keanu Reeves… bem é Keanu Reeves e traz o poder de uma estrela para o filme. Uma boa opção de aventura!

Eliane Munhoz

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *