fbpx

A diversão e a emoção do filme francês O Bom Doutor

Apesar de ter o mesmo título, fica o aviso para não confundir com a série com Freddie  Highmore. Esse O Bom Doutor é um filme francês. É uma comédia com uns toques de drama, que vai estrear nos cinemas nessa quinta (9). Eu me diverti, especialmente com a atuação de Hakim Jemili, como Malek, simplesmente ótimo.

O filme se passa na véspera de Natal em Paris. Dr. Serge é o único médico de plantão naquela noite. Só que ele está com as costas travadas e tomando tragos de uísque o tempo inteiro. Com isso, Serge está quase tão mal quanto os pacientes que atende em domicílio. Mas as chamadas de emergência não param em seu rádio. Até que o carro de Serge cruza com a bicicleta de Malek, um simpático entregador de comida. O encontro acidental faz com que o médico tenha uma ideia que parece salvadora. Vai enviar o jovem em seu lugar para atender os pacientes. Para nada dar errado, basta Malek seguir à risca as instruções que recebe remotamente de Serge. Se o áudio não falhar, todos terão um feliz Natal. Mas…

A crítica

Antes do filme começar, já aparece o aviso de que o filme é baseado em fatos reais. “mas nós acreditamos nos médicos”. Rsrs, daí já começa o filme com aquele humor francês. Contrapõe o mal humorado médico mais velho com o fofíssimo jovem entregador. Esse encontro vai provocar tanto momentos divertidíssimos, como alguns quase emocionantes. O filme conecta tudo isso, contando a jornada desses dois de uma maneira extremamente eficiente

Apesar de Michel Blanc ser um ator reconhecido e premiado,  a alma do filme é Hakim Jemili como Malek. Ele é um comediante e YouTuber famoso na França. O Bom Doutor é sua estreia no cinema. E se sai muito bem, sabendo balancear a emoção e a comédia rasgada.  O diretor Tristan Séguéla falou sobre a experiência numa entrevista. ” Uma comédia deve fazer, antes de mais nada, as pessoas rirem. Existem temas mais leves para divertir o público. Mas sempre tive uma queda por comédias que não têm medo de abordar assuntos mais sérios. Daquelas que se atrevem a fazer rir mesmo com certa angústia. ”

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *