fbpx

O Velho Guerreiro está de volta! Agora nos cinemas!

Eu tenho que confessar que quando era pequena não era muito fã do programa de Chacrinha. Não sei foi alguma influência, ou se simplesmente ficava incomodada com o jeito como ele tratava as pessoas. Mas, é preciso reconhecer que Chacrinha, ou Abelardo Barbosa, um menino levado da breca, era diferente de tudo que havia na época (especialmente), e ainda hoje. A história desse homem singular  chega  essa semana aos cinemas em Chacrinha: O Velho Guerreiro após passar pelo teatro e por um especial de TV. Tudo dirigido por Andrucha Waddington.

Luan Santana faz uma participação no filme

O filme começa contando a história de Abelardo Barbosa desde o momento em que larga a faculdade de medicina para se aventurar em seu primeiro “bico” como locutor de rádio. Daí em diante, vemos sua vida se transformar e o nascimento do alter ego mais conhecido do Brasil, o  velho guerreiro, Chacrinha. O filme cobre o casamento com Florinda, a tragédia com um dos filhos, e a relação dele com gente que vai desde o poderoso Boni, passando por Clara Nunes, e ainda a relação de pai e filha com Elke Maravilha.

O filme recria várias figuras conhecidas do público até hoje.Entre eles, Wanderlea, Roberto Carlos, Clara Nunes (sugerindo ou não que ela e Chacrinha tiveram um caso) e, é claro, Elke Maravilha.  Giane Albertoni até se esforça para imprimir a energia de Elke, mas isso é impossível. Por outro lado, Stepan encontrou em Chacrinha o papel de sua vida. É claro que havia muito material de pesquisa, mas ele parece realmente que Chacrinha “baixou nele”. Por outro lado, Eduardo Streiblitch, como o Chacrinha jovem, cria do nada um personagem brilhante. É o melhor do elenco.

Para aqueles que se lembram de Chacrinha, o filme é um retorno no tempo. Para os que nunca viram, é uma curiosidade. Ver algo que provavelmente nunca poderia acontecer nos dias de hoje – talvez só na internet. Mas como ficaria o politicamente correto?

Veja abaixo a entrevista que fiz com os atores e o diretor. Foi divertido!

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *