fbpx

Muito drama e alguma diversão em De Repente, uma Família.

Para você que vai assistir De repente, uma família, que estreia essa semana no cinema, já começo avisando. O trailer e o poster vendem o filme como uma comédia escrachada, do tipo Pai em Dose Dupla, com o mesmo Mark Wahlberg. Não é! É claro que tem algumas cenas divertidas, mas no geral, é bem dramático. Pode esperar que no final pode rolar até uma choradinha. A história é baseada na experiência real do diretor do filme, Sean Anders, que adotou três crianças de uma vez.

O diretor Sean Anders e sua família

No filme, um casal, formado por Rose Byrne e Mark Wahlberg, decide adotar uma criança já um pouco crescida. Eles participam inclusive de um treinamento ministrado pelas personagens de Octavia Spencer, e Tig Notaro, da série Transparent.  O caminho deles acaba cruzando com o da adolescente Lizzie (Isabela Moner), uma garota de temperamento forte e que se sente responsável pelos dois irmãos mais novos. Com isso,  o casal resolve ir em frente e começar um processo  com três crianças muito diferentes em casa, que irão mudar as suas vidas por inteiro.

O que achei do filme?

O filme tem um óbvio apelo maior para quem tem filhos. Ainda mais aqueles que passaram por um processo de adoção, com todo o esforço de adaptação de ambos os lados da história. É claro que há exageros e um certo alívio cômico. Mas, no final, é a parte dramática  que tem maior importância.

Mark Wahlberg está obviamente fazendo Mark Wahlberg, como sempre. Rose Byrne  está adorável, com também é normal. mas os destaques são as participações de Octavia Spencer e Tig Notaro, como a dupla de assistentes sociais completamente diferentes uma da outra. Ela divertem e emocionam. Também foi muito bom ver uma pequena participação especial de Joan Cusack, que andava meio sumida, como uma vizinha. Ela é ótima!

Dá para ver até o nível de emoção pela música dos créditos finais, interpretada por Isabela Moner. Aliás, a atriz está simplesmente maravilhosa  no filme como a garota carente e corajosa.

Isabela Moner

Quando Isabela Moner veio ao Brasil para o lançamento de Transformers,   onde contracenava com Mark Wahlberg, eu tive a oportunidade de conversar com ela. Já naquela época, ela já tinha uma carreira musical de sucesso. Ela logo estaria em Sicario 2 (e na minha opinião também é a melhor coisa daquele filme).  Fico feliz de ver que está sendo bem sucedida em sua carreira em Hollywood. E veja a carinha dela, como um ano faz diferença!

As fotos são de divulgação.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *