fbpx

A mensagem emocionante de O Ódio que Você Semeia

Filmes com racismo, assassinatos e outros tipos de violência, às vezes, tem momentos tão difíceis que você sai do cinema meio zonza. Mas, outras vezes, encontramos filmes que sabem balancear as coisas. Sim, você vai continuar saindo emocionada com as situações, vai chorar, se revoltar. Só que, ao mesmo tempo, também vai sorrir, rir mesmo, e achar várias cenas fofas. Exatamente como a vida real. Infiltrado na Klan, um dos melhores filmes do ano, foi um deles. E essa semana estreia nos cinemas outro ótimo exemplo: O Ódio que Você Semeia. Vale conhecer.

A História

Starr  é uma garota que vive em dois mundos diferentes. Mora em um bairro violento, com Traficantes e assassinos dominando cada esquina. Por outro lado, estuda em um colégio de gente rica, onde tem amigas que moram em quase mansões. Mas desde cedo,  Starr aprendeu com os pais, ainda muito nova, como uma pessoa negra deve se comportar na frente de um policial. Não faça movimentos bruscos. Deixe sempre as mãos à mostra. Só fale quando lhe perguntarem algo. Só que, de repente, uma tragédia acontece. Indignada com a injustiça tão explícita que presenciou e vivendo em duas realidades tão distintas, Starr precisa descobrir a sua voz. Precisa decidir o que fazer  ao ser a única testemunha de um crime que pode ter um desfecho tão injusto como seu início.

Baseado no livro best-seller de Angie Thomas, o filme começa com a narração em off como muitos dos filmes de adolescentes. Afinal, Starr é uma garota como tantas outras que a gente vê nos filmes, com todas as inseguranças dessa idade. A diferença acontece após uma tragédia.  Tudo o que parecia ser importante, passa a ficar em segundo plano. E com isso, oferece o melhor papel da carreira de Amandla Stenberg, que já fez um filme fofinho, que eu adoro chamado Tudo e Todas as Coisas. Ela consegue passar com alguns olhares todo o sentimento de dúvida e tristeza.  Mas repare também em sua força, especialmente na cena de violência com a ex-melhor amiga.

Mais sobre o elenco

Como seu namorado (mais que perfeito) está KJ Apa, conhecido como o Archie da série Riverdale. Ele inclusive entrou no lugar de outro ator Kian Lawley. Isso foi depois que descobriram que este tinha alguns vídeo no YouTube onde usava frases racistas. Não dava para continuar no elenco, especialmente nesse filme, com uma mensagem tão forte e importante contra tudo isso.

O resto do elenco também é bem conhecido. Regina Hall, que faz a mãe de Starr, é uma comediante conhecida, que acabou de ganhar o prêmio de melhor atriz do ano dos Críticos de Nova York. Issa Rae, de Insecure, da HBO, também está ótima no drama, deixando totalmente seu talento para  a comédia de lado. Russell Hornsby (Um Limite entre nós), Common e  Anthony Mackie (dos Vingadores) também tem papéis de destaque. Até Sabrina Carpenter, das séries fofinhas da Disney tipo Garota Conhece o Mundo, está perfeita no papel da “amiga” de Starr.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *